prós e contras da teoria da endossimbiose e autogênica

Hoje vamos falar de duas importantes teorias, a teoria da endossimbiose e a teoria autogênica.

Vamos abordar nesta postagem:

1 – TEORIA DA ENDOSSIMBIOSE;

1 .1 – Argumentos a favor da teoria da endossimbiose;

1.2 – Argumentos contra a teoria da endossimbiose;

2 TEORIA AUTOGÊNICA

1 .1 Argumentos a favor da teoria autogênica;

1.2 Argumentos contra a teoria autogênica;

3 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

Bem, vamos lá!

1 – TEORIA DA ENDOSSIMBIOSE

A teoria da endossimbiose foi proposta por Lynn Margulis, em 1981. Essa teoria admite que as mitocôndrias e cloroplastos, organelas existentes nas células eucarióticas surgiram graças a uma associação simbiótica. Na figura 1, temos representado os cloroplastos e as mitocôndrias que são organelas supostamente derivados dessa associação.

Figura 1 – Origem das Células Eucariotas

TEORIA-DA-ENDOSSIMBIOSE-273x300 prós e contras da teoria da endossimbiose e autogênica

Fonte: MONIZ, 2015.

Uma associação simbiótica, em biologia, é uma interação entre dois seres vivos que podem ser, duas plantas ou uma planta e um animal, de modo que, ambos os organismos se beneficiam mutuamente, mesmo que em proporções desiguais.

Como as mitocôndrias e cloroplastos passaram a viver no interior das células eucarióticas?

Para a teoria da endossimbiose, as mitocôndrias e cloroplastos eram organismos unicelulares independentes procariontes que, ao serem fagocitados por uma outra célula maior, estas células passaram habitar o interior da célula hospedeira beneficiando-a. Desde modo, iniciou-se uma relação mutua  simbiótica em que a célula hospedeira passou a fornecer nutrientes e proteção para a mitocôndria na célula animal e o cloroplasto na célula vegetal e em contrapartida, estas últimas passaram a produzir energia para a que a célula hospedeira desempenhe a sua atividade.

Resumindo a teoria da endossimbiose:

  1. As células procariontes,cloroplastos e mitocôndrias, foram fagocitadas por uma células maiores;
  2. As mitocôndrias e cloroplastos passam a sobreviver no interior da célula fagocitária;
  3.  A célula fagocitária oferece proteção e nutrientes para as mitocôndrias e cloroplastos;
  4. As mitocôndrias fornecem energia para a célula que as fagocitou.

As mitocôndrias são células animais que são responsáveis pela respiração celular dos seres heterótrofos, ou seja, seres que precisam obter energia por meio da matéria orgânica, diferentemente das plantas que, por ser seres autótrofos, produzem o seu próprio alimento a partir da matéria bruta, sendo os cloroplastos  responsáveis por essa função por meio da fotossíntese. As células vegetais são responsáveis pela obtenção de energia a partir da matéria bruta.

Resumindo:

  1. Seres Autótrofos – são seres que produzem o seu próprio alimento sem depender de outro organismo. As plantas produzem o seu próprio alimento por meio da fotossíntese realizada nas organelas celulares chamadas de cloroplastos;
  2. Seres Heterotrófitos – são seres que necessitam de obter a energia armazenada nos seres autótrofos (ex. a vaca que se alimenta de plantas) ou em outros heterótrofos (ex. uma coruja que se alimenta de um coelho). A energia é produzida nas organelas chamadas de mitocôndrias através da quebra de nutrientes.

Por curiosidade, informo que esse assunto, não tem o seu limite somente na teoria da endossimbiose.  Vai muito além do simples fato de somente classificamos os seres em autótrofos e heterótrofos. Esses farão parte de um sistema que envolve a manutenção da vida em todo o planeta incluindo a nossa. Estamos falando de ecossistemas que podemos caracterizar como um fluxo de energia entre fatores bióticos (animais e plantas) e abióticos (temperatura, presença de água, solo, condições climáticas) equilibrados através de cadeias alimentares. Qualquer desiquilíbrio nesta cadeia, qualquer que seja, poderá trazer consequências drásticas para a vida naquele local como a extinção de animais e plantas. Mas isto será assunto da disciplina de ecologia do nosso blog.

Bem, vamos voltar a nossa atenção para a teoria da endossimbiose. Para facilitar a compreensão do assunto, enumerei os argumentos a favor e contra a teoria citada nas linhas que se seguem:

 

1 .1 ARGUMENTOS  A FAVOR DA TEORIA DA ENDOSSIMBIOSE

  • Cloroplastos e mitocôndrias são semelhantes a bactérias em tamanho e forma, bem como genética e bioquimicamente sugerindo que elas eram células procariotas;
  • Os cloroplastos e mitocôndrias possuem DNA e ribossomos próprios;
  • O DNA de cloroplastos e mitocôndrias são diferentes daquele existente no núcleo da célula;
  • Os cloroplastos e as mitocôndrias possuem o seu próprio sistema de membranas internas. Além disso, há duas membranas revestindo-as;
  • Tanto cloroplastos quanto as mitocôndrias possuem capacidade de autoduplicação.

 

1.2 ARGUMENTOS CONTRA TEORIA DA ENDOSSIMBIOSE

  • A teoria não explica a origem do núcleo e dos restantes organelas endomembranares.
  • A teoria autogênica busca explicar a continuidade física e semelhança estrutural entre as membranas celulares internas e externa da células;

Vale dizer que, alguns estudiosos procuraram conciliar as duas hipóteses, defendendo que os sistemas endomembranares e o núcleo tenham resultado de invaginações da membrana plasmática, tal como defende a hipótese autogênica em que as mitocôndrias e os cloroplastos terão tido origem em relações de endossimbiose, tal como defende a hipótese endossimbiótica.

Terminamos a teoria endossimbiótica, vamos agora abordar a teoria autogênica.

 

2 TEORIA AUTOGÊNICA

A hipótese autogênica, como o próprio nome diz: os seres eucariontes foram autogerados.  Eles são o resultado de uma evolução gradual dos seres procariontes. Numa fase inicial, as células foram desenvolvendo invaginações a partir da membrana plasmática em direção ao centro da célula  formando as organelas membranosas como o retículo endoplasmático, o núcleo celular, mitocôndrias e outras.

 

2.1 ARGUMENTOS A FAVOR DA TEORIA AUTOGÊNICA

  • As membranas celulares apresentam continuidade física entre todas;
  • Todas as membranas apresentam a mesma estrutura e composição bioquímica.

 

2.2 ARGUMENTOS CONTRA TEORIA AUTOGÊNICA

  • O material genético das mitocôndrias e dos cloroplastos apresenta uma maior semelhança com o das bactérias autônomas do que com o material genético presente no núcleo.
  • O núcleo e as membranas sugerem não ter a mesma origem pois não tem material genético semelhante.

Para diferenciarmos a teoria da endossimbiose da autogênica, vamos ao esquema e á figura 2:

  1. A teoria da endossimbiose diz que a célula passou a ser eucarionte quando esta começou a viver em simbiose com células menores heterótrofos ancestrais das mitocôndrias e cloroplastos.
  2. Já a teoria autogênica tenta explicar que a célula eucarionte surgiu através da invaginação da membrana plasmática em direção centro da célula criando as organelas membranosas.

 

 

3 -REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Educação Biologia, Origem e evolução das células. Disponível em: <http://educacao.globo.com/biologia/assunto/genetica/origem-e-evolucao-das-celulas-e-hipotese-de-endossimbiose.html>. Acesso em 29 de agosto de 2016.

SANTOS, Vanessa Sardinha Dos. “Teoria endossimbiótica”; Brasil Escola. Disponível em:<http://brasilescola.uol.com.br/biologia/teoria-endossimbiotica.htm>. Acesso em 29 de agosto de 2016

marcus

Olá, meu nome é Marcus Vinícius, tenho 32 anos. Sou blogueiro, enferrmeiro e referência técnica do Centro de Atenção Psicossocial CAPS I de Lagoa da Prata/MG. Sou graduado em Enfermagem pela Universidade de Uberaba UNIUBE. Os meu objetivo neste blog é trazer um conteúdo esquematizado e de fácil entendimento para te auxiliar nas suas pesquisas e estudos na área de enfermagem, saúde pública e saúde como um todo.

Website: http://www.enfermagemesquematizada.com.br

2 Comentários

  1. Adevaldo

    Me fala sobre teoria da INVAGINAÇÃO…

    • marcus

      Olá Adevaldo. Tudo bem com você? Bom vou falar um pouco sobre a teoria da invaginação.
      A teoria da invaginação diz que, as células eucarióticas teriam surgido a partir das células procarióticas que sofreram uma espécie de “dobras” na membrana plasmática. Esses dobramentos de membrana teriam dado origem a “compartimentos” dentro do citoplasma celular, que teriam originado as várias estruturas citoplasmáticas delimitadas por membranas, as organelas membranosas. A membrana nuclear também seria um resultado desses dobramentos, que recebe o nome de carioteca.
      EM OUTRAS PALAVRAS: A teoria da invaginação diz que a membrana plasmática de células procariotas invaginaram para dentro do citoplasma formando as organelas membranosas (retículo endoplasmático, complexo de golgi, mitocôndrias) e envolvendo o núcleo celular formando a carioteca.
      Espero ter ajudado. Um abraço e bons estudos!

Deixe uma resposta