Reforma Sanitária

O que foi a reforma sanitária?

reforma-sanitária-300x197 Reforma Sanitária

A reforma sanitária foi um movimento social de luta contra a ditadura militar na década de 70 e refere-se a um conjunto de ideias que englobavam mudanças e transformações necessárias não somente na área da saúde mas também em todas as áreas de modo a garantir melhorias nas condições de vida da população brasileira.

 

Como era a saúde antes do SUS? – motivos da reforma sanitária.

Antes de 1988, apenas 30 milhões de brasileiros tinham acesso aos serviços de saúde pois tinham carteira assinada ou dinheiro para pagar pelos serviços assistenciais. O restante da população só poderia recorrer á filantropia (exemplo, santas casas de misericórdias) ou a curandeiros. Já com a criação do SUS, todas as pessoas passaram a ter direito á saúde, ou seja, 300 milhões de brasileiros tem direito á assistência á saúde de forma gratuita.

Já relação á gestão dos serviços de saúde, antes de 1988 era centralizada na esfera federal sem participação popular. Hoje, contamos com uma gestão de saúde, descentralizado, municipalizado e com participação popular através dos conselhos e conferências de saúde.

Outro fator a ser mencionado é que a saúde era basicamente médico-hospitalar. Com o advento do SUS, a assistência passou a visar a busca pela integralidade, ou seja, com ações de prevenção, promoção, recuperação e reabilitação de saúde de modo a atingir o todo do individuo.

No que diz respeito aos motivos da reforma sanitária brasileira, a saúde era considerada como ausência de doença. Não havia ações efetivas de prevenção para toda a população com exceção de algumas campanhas sanitaristas em caso de epidemias. Com a Constituição Federal de 1988, a saúde passou a ser vista não somente como ausência de doença mas também como qualidade de vida.

Para resumir vamos listar os motivos da reforma sanitária citados acima:

  • Minoria da população brasileira tinha acesso aos serviços de saúde – Só quem tinha carteira assinada ou podia pagar..
  • Centralização da gestão das ações de saúde na esfera federal sem qualquer participação social;
  • Saúde como ausência de doença;
  • Assistência puramente médico-hospitalar.

 

Reforma Sanitária Brasileira e a Consolidação do SUS.

A reforma sanitária brasileira, movimento iniciado por grupos de médicos, estudantes e intelectuais na década de 70 contra a ditadura militar e com a finalidade de uma construção de uma saúde pública que vise a melhora da qualidade de vida das pessoas, foi responsável pela consolidação do SUS.

A 8ª Conferência Nacional de Saúde foi o espaço utilizado para que as discussões políticas sobre o quadro sanitário precário que o Brasil se encontrava pudesse ocorrer. Destas discussões nasceu a Constituição Federal de 1988 que universaliza a saúde e cria o Sistema Único de Saúde.

 

Referências Bibliográficas

BERTOLOZZI, Maria; GRECO, Rosangela. As Políticas de Saúde no Brasil: Reconstrução Histórica e Perspectivas Atuais,São Paulo, v.30, n. 3, dezembro, 1996. Disponível em: <http://www.scielo.br>. Acesso em 18 de dezembro de 2016.

 

 

marcus

Website:

Deixe uma resposta