Programa Nacional de Imunização: Tipos de vacinas

O Programa Nacional de Imunização traz dois tipos de vacinas: vacinas de agentes vivos atenuados e agentes mortos ou pedaços de agentes mortos.

vacinacao-300x180 Programa Nacional de Imunização: Tipos de vacinas

1 -CUSTO-BENEFÍCIO DAS VACINAS

A princípio, o mecanismo mais eficiente quanto a custo-benefício para erradicar doença em medicina preventiva é a vacinação. A varíola que era endêmica no mundo foi erradicada no Brasil em dezembro de 1972 pela vacinação.

O Programa Nacional de Imunização tem o seu calendário é muito parecido com o calendário de vacinas de países desenvolvidos destacando mundialmente o Brasil quando se fala em medicina preventiva.

O nosso calendário tem nove vacinas:

  1. BCG
  2. Hepatite B
  3. Pentavalente ( hepatite B + Tríplice Bacteriana + Haemophilus B)
  4. Vacina oral contra poliomielite
  5. Vacina oral contra hotavírus humano
  6. Vacina contra pneumococos
  7. Vacina contra meningococo C;
  8. Febre amarela e;
  9. Tríplice viral.
Observação:

A Tríplice bacteriana protege contra:

  1. Difteria;
  2. Tétano;
  3. Coqueluche e;
  4. doença invasiva por Haemophilus B.

A vacina Hotavírus protege contra:

  1. Casos graves de diarreia por hotavírus.

A vacina Tríplice viral protege contra:

  1. Sarampo;
  2. Rubéola e;
  3. Caxumba.

A  Pentavalente protege contra:

  1. Hepatite b;
  2. Difteria;
  3. Tétano;
  4. Coqueluche e;
  5. Meningite.

TIPOS DE VACINAS 

O Programa Nacional de Imunização, adota dois tipos de vacinas:

  1. As vacinas por agentes vivos atenuados e;
  2. vacinas por agentes mortos.

As melhores vacinas são aquelas de agentes vivos atenuados, ou seja, são agentes patogênicos que perderam ao máximo sua patogenicidade mas ainda sua propriedade de imunogenicidade se manteve.

Programa Nacional de Imunização traz 5 vacinas de agentes etiológicos vivos e 4 vacinas de agentes mortos ou pedaços de agentes.

VACINAS DE AGENTES VIVOS ATENUADOS:

  1. BCG;
  2. Vacina Oral contra Poliomielite;
  3. Vacina Oral contra Horavírus Humano;
  4. Vacina Contra Febre Amarela e;
  5. Tríplice Viral.

VACINAS DE AGENTES MORTOS OU PEDAÇOS DE AGENTES:

  1. Vacina contra hepatite B;
  2. Pentavalente;
  3. Vacina contra Pneumococo e;
  4. Vacina contra Meningococo.

VANTAGEM DAS VACINAS DE AGENTES VIVOS ATENUADOS

A vantagem das vacinas de agentes vivos atenuados é devido à sua eficácia. Ao aplicar as vacinas de agentes vivos atenuados, o agente etiológico vacinal irá se replicar causando uma infecção. A infecção assintomática iniciada irá produzir uma resposta imunológica no individuo, consequentemente, tornando-o imune contra novos agentes etiológicos do gênero ingressarem no seu organismo.

Em outras palavras, as vacinas de agentes vivos atenuados são as melhores do ponto de vista de indução imunológica porque elas imitam ao máximo a infecção real de doença.

EFEITOS ADVERSOS DAS VACINAS DE AGENTE VIVOS ATENUADOS

As vacinas de agentes vivos atenuados adotadas pelo Programa Nacional de Imunização são as únicas capazes de produzir as doenças porque o objetivo delas é inocular o agente vivo para o organismo produzir resposta imunológica contra esse agente.  Por exemplo, a vacina BCG que protege contra tuberculose pode causar tuberculose.  Neste sentido, pacientes imunodeficientes não podem tomar vacinas de agentes vivos atenuados como por exemplo, indivíduos portadores de HIV sintomáticos.

LOCAL DE APLICAÇÃO DAS VACINAS DE AGENTES VIVOS ATENUADOS

As Vacinas contra Febre Amarela e Tríplice Viral são aplicadas por via subcutânea.

O objetivo das duas vacinas é provocar uma viremia através da indução de imunidade sérica imitando o ciclo das doenças. Por exemplo, o vírus da febre amarela é inoculado no tecido subcutâneo pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo agente causador da dengue, e em seguida, há uma viremia no indivíduo.

Já as vacinas contra sarampo, rubéola e caxumba, as chamadas tríplice viral, deveriam ser feitas na árvore respiratória. No entanto ainda não se conseguiu criar uma vacina para ser aplicada eficientemente nesse local sendo o meio mais eficiente a aplicação no tecido subcutâneo. Neste local consegue-se induzir uma imunidade sérica contra os agentes etiológicos do sarampo, rubéola e caxumba que atingirá a árvore respiratória.

As Vacinas VOP (Vacina Oral Contra Poliomielite) e Vacina VORH (Vacina oral contra  Hotavírus Humano) é aplicado por via oral porque a ideia não é causar imunidade sérica mas sim causar imunidade de mucosa no tubo digestivo.  O hotavírus e o poliovírus são vírus de infecção do tubo digestivo e por isso as vacinas deverão ser aplicadas por via oral. Se eu terei imunidade no tubo digestivo eu não terei poliomielite.

A BCG não tem o objetivo nem de causar bacteremia e nem imunidade do tubo digestivo e sim causar o chamado de complexo primário circunscrito. Esse fator justifica a necessidade da aplicação da BCG por via intradérmica.

Resumo do local de aplicação da Vacinas de agentes vivos atenuados:

  1.  Febre Amarela e Tríplice Viral = via subcutânea;
  2. VOP e VORH = via oral
  3. BCG = Via intradérmica

AGENTES ETIOLÓGICOS DAS VACINAS DE AGENTES VIVOS ATENUADOS:

Febre Amarela = Virus amarilico, arbovirus do gênero Flavivirus e família Flaviviridae. E um RNA virus.

BCG = bacilo de Calmette e Guérin tem por finalidade evitar que a primo-infecção natural, causada por Mycobacterium tuberculosis, evolua para doença.

Caxumba = vírus da família Paramyxoviridae, gênero Rubulavirus.

Sarampo = Vírus do sarampo, RNA, pertencente ao gênero Morbillivirus, família Paramyxoviridae.

Rubéola =  O vírus da Rubéola gênero Rubivírus, família Togaviridae

Poliomielite = O poliovírus pertencente ao gênero Enterovírus, da família Picornaviridae, composto de três sorotipos 1, 2 e 3.

VACINAS DE AGENTES MORTOS OU PEDAÇOS DE AGENTES

Nesse tipo de vacina, encontramos vacinas de agentes inteiros mortos ou pedaços de agentes.

São vacinas de agentes mortos ou pedaços de agentes:

  1. Vacina contra hepatite B;
  2. Pentavalente;
  3. Vacina contra Pneumococo e;
  4. Vacina contra Meningococo.

Diferente das vacinas de agentes vivos atenuados, as vacinas de agentes mortos não podem causar doença quando aplicadas em imunodeficientes. Em relação as primeiras, as vacinas de agentes mortos são pouco imunogênicas. Elas não imitam a doença pois estamos aplicando somente um antígeno.

Para aumentar a sua eficácia, são acrescentadas na sua composição o coadjuvante de sal de alumínio tornando a solução insolúvel. Essa insolubilidade do sal de alumínio faz com haja sua precipitação no local da aplicação causando uma intensa reação inflamatória. Por isso todas as vacinas de agentes mortos são aplicadas por via intramuscular provocando algia local pós aplicação.

AGENTES ETIOLÓGICOS DAS VACINAS DE AGENTES MORTOS:

Hepatite B = Vírus da Hepatite B (VHB). É um vírus DNA, família Hepadnavirida

Pneumococo = bactéria Streptococcus pneumoniae

Meningococo = Neisseria meningitidis, bactéria em forma de diplococos Gram negativos. Apresenta 13 sorogrupos, sendo 8 responsáveis, com maior frequência, pela doença meningocócica (A, B, C1+, C1-, X, Y, W-135,L). Estes podem ainda ser classificados em sorotipos e subtipos.

Tetravalente – O Corynebacterium diphtheriae é o agente etiológico da difteria; tétano é provocada pela bactéria Clostridium tetani; Coqueluche = bactéria Bordetella pertussis e; Infecções causadas por Haemophilus influenzae tipo b que causa meningite.

CALENDÁRIO DO PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO

Para finalizar, vamos ao calendário nacional de vacinação conforme preconiza o Ministério da Saúde a partir do ano de 2016.

Idade Vacinas
Ao nascer – BCG

– Hepatite B

2 meses – Pentavalente 1ª dose (Tetravalente + Hepatite B  2ª dose)

– Poliomielite 1ª dose (VIP)

– Pneumocócica conjugada 1ª dose

– Rotavírus 1ª dose

3 meses – Meningocócica C conjugada 1ª dose
4 meses – Pentavalente 2ª dose (Tetravalente + Hepatite B  3ª dose)

– Poliomielite 2ª dose (VIP)

– Pneumocócica conjugada 2ª dose

– Rotavírus 2ª dose

5 meses – Meningocócica C conjugada 2ª dose
6 meses – Pentavalente 3ª dose (Tetravalente + Hepatite B  4ª dose)

– Poliomielite 3ª dose (VIP)

9 meses – Febre Amarela
12 meses – Pneumocócica conjugada reforço

– Meningocócica C conjugada reforço

– Tríplice Viral 1ª dose

15 meses – DTP 1º reforço (incluída na pentavalente)

– Poliomielite 1º reforço (VOP)

– Hepatite A

– Tetra viral (Tríplice Viral 2ª dose + Varicela)

4 anos – DTP 2º reforço (incluída na pentavalente)

– Poliomielite 2º reforço (VOP)

– Febre amarela reforço

9-13 anos – HPV 2 doses
Adolescentes, Adultos e Idosos – Hepatite B (3 doses a depender da situação vacinal)

– Febre Amarela (1 dose a cada 10 anos)

– Tríplice Viral (2 doses até os 20 anos ou 1 dose em > 20 anos. Idade máxima: 49 anos)

– DT (Reforço a cada 10 anos)

marcus

Olá, meu nome é Marcus Vinícius, tenho 32 anos. Sou blogueiro, enferrmeiro e referência técnica do Centro de Atenção Psicossocial CAPS I de Lagoa da Prata/MG. Sou graduado em Enfermagem pela Universidade de Uberaba UNIUBE. Os meu objetivo neste blog é trazer um conteúdo esquematizado e de fácil entendimento para te auxiliar nas suas pesquisas e estudos na área de enfermagem, saúde pública e saúde como um todo.

Website: http://www.enfermagemesquematizada.com.br

Deixe uma resposta