Mudança de decubito ao paciente acamado

Por que modificar o decubito de pacientes acamados?

Garantir o conforto do paciente que está em cuidados hospitalares é um dos objetivos da equipe de enfermagem.

E, dentre os cuidados recomendados, está a mudança de decubito. Como ela deve ser feita? Qual a periodicidade? E mais que isso, quais os benefícios envolvidos?

Todas estas perguntas serão respondidas nos próximos tópicos!

Quais as posições de decúbito?

Dizer que alguém está em decúbito, significa que a disposição do corpo é horizontal. E, as suas variações são:

  • Decúbito lateral: pode ser esquerdo ou direito.
  • Decúbito dorsal: é a posição preferida da maioria dos pacientes, que fica de “barriga para cima”.
  • Decúbito ventral: é o contrário do decúbito dorsal, pois, as costas do paciente é que estarão voltadas para cima.

Como deve ser feita a mudança?

Em geral, recomenda-se a alteração de decúbito para os pacientes, a cada 2 horas. É claro que este tempo pode sofre variações em cada instituição, que tendem a seguir seus próprios protocolos.

Portanto, quando iniciar seus trabalhos em determinado local, é imprescindível que conheça as diretrizes e normas daquele estabelecimento.

Existem hospitais que possuem um “relógio de decúbito”, em que indicam as sequências das posições. É importante também que se registre em local específico o horário de cada mudança.

 

Quais as vantagens da mudança de decubito?

Pacientes podem queixar-se de tais mudanças, mas, é essencial o conhecimento das vantagens de alterar-se o decúbito periodicamente. Converse sempre com o acamado e com os seus familiares sobre estes benefícios!

 

1. Redução de úlceras

As úlceras de decúbito ou de pressão ocorrem em pacientes acamados, que não alteram a posição.
Como o próprio nome sugere, elas ocorrem pelo excesso de pressão em determinada área, geralmente onde há proeminência óssea:

  • Calcâneo;
  • Joelhos;
  • Maléolos;
  • Ombro;
  • Cotovelo;
  • Sacro;
  • Ísquio;
  • Escápula.

Elas são mais comuns em idade avançada, em pacientes com muito tempo de internação e/ou imobilização, em condições que reduzam a vascularização dos tecidos (como a baixa pressão arterial), etc.

2. Melhoria da mecânica pulmonar

A mudança de decubito, bem como a angulação da cabeceira, melhoram a complacência pulmonar, e consequentemente, a mecânica pulmonar.

Além disso, existem diversos estudos comprovam a redução de pneumonias e outros agravos quando tais medidas são adotadas.

 

3. Conforto e bem-estar

Por mais que os pacientes tenham preferência por determinada posição, a modificação constante de decúbito proporciona conforto, por reduzir dores, prevenir a fadiga, e muito mais.

4. Benefícios hemodinâmicos

Modificar a posição do paciente também estimulará a circulação. Como esta condição quase sempre estará comprometida, garantir que o sangue chegará a todos os tecidos, é um forte ponto a ser considerado.

Marcus Vinícius

Olá, meu nome é Marcus Vinícius. Sou blogueiro, enfermeiro e responsável técnico pelo Centro de Atenção Psicossocial CAPS I do Município de Lagoa da Prata/MG. Este blog tem o objetivo de trazer um conteúdo esquematizado e de fácil assimilação. Aproveite e entre em contato em caso de dúvidas e sugestões!

Website: http://www.enfermagemesquematizada.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *