Infarto agudo do miocárdio

O infarto agudo do miocardio é um dano permanente do tecido cardíaco devido á morte das células cardíacas causados por isquemia.

Fisiopatologia

As artérias coronárias são ramos da artéria aorta que tem a função de irrigar o tecido cardíaco proporcionando condições adequadas para o seu pleno funcionamento. Qualquer condição que interrompa ou diminua o fluxo sanguíneo em qualquer ponto das coronárias causará falta de oxigênio no tecido cardíaco ocasionando o Infarto agudo do miocardio.
Neste sentido, o infarto agudo do miocárdio é causado por:

  • Ruptura de placa aterosclerótica e subsequente oclusão da artéria coronária por trombo – O fluxo sanguíneo reduzido ou ausente leva á isquemia e morte de células cardíacas;
  • Vasoespasmo de uma ou mais coronárias (constrição súbita ou estreitamento);
  • Suprimento de oxigênio diminuído provocado por hemorragias, hipotensão arterial ou anemia;
  • Alta demanda de oxigênio – A frequência cardíaca elevada, uso de cocaína ou o hipertireoidismo (aumenta o metabolismo e o trabalho cardíaco).
    É importante relatar que, após a diminuição ou cessação do fluxo sanguíneo para o coração através coronárias, a área de infarto se instala em minutos ou horas. Á proporção que as células são privadas de oxigênio , a isquemia se inicia e as células cardíacas começam a morrer. A expressão “tempo é músculo” refere-se á urgência do tratamento adequado para fins de melhorar o suprimento do coração antes que as suas células morram.

Manifestações Clínicas

Cardiovasculares

  • Dor, desconforto torácico e palpitações;
  • Distensão da veia jugular, quando o infarto já causou insuficiência cardíaca congestiva;
  • Pressão arterial elevada – Relacionado á estimulação simpática aumentada, choque cardiogênico e medicamentos;
  • Déficit de pulso – Relacionado com a fibrilação atrial provocado pela frequência cardíaca super-elevada no esforço do coração em manter o débito cardíaco adequado;
  • Taquicardia, bradicardia e arritmias;
  • Presença de terceira e quarta bulhas (B3 e B4);

Respiratórios

  • Falta de ar;
  • Dispneia;
  • Taquipneia;
  • Estertores (quando o infarto já causou congestão pulmonar);
  • Edema pulmonar associado á congestão pulmonar.

Gastrointestinais

Náuseas e Vômitos.

Geniturinários

Debito urinário quando instalado o choque cardiogênico.

Cutâneos

Pele fria, pegajosa, pálida e sudoreica – provocado pela vasoconstricção periférica devido á estimulação simpática. É indicativo da instalação de choque cardiogênico

Neurológicos

Os sintomas neurológicos são resultados da estimulação simpática na tentativa de aumentar o débito cardíaco e consequentemente aumentar o fluxo sanguíneo para o tecido cardíaco por meio das coronárias ou devido á baixa oxigenação cerebral devido á diminuição da força de contração do coração causado pela morte de tecido cardíaco. Os sintomas neurológicos incluem:

  • Ansiedade;
  • Tonteira leve;
  • Inquietação.

Psicológicos

Sensação de morte iminente.


Diagnóstico

Em pacientes que chegam na unidade de saúde com sinais e sintomas sugestivos de isquemia cardíaca, o diagnóstico de infarto agudo do miocárdio é realizado como base na avaliação de marcadores específicos de lesão do miocárdio. Quando há um aumento característico de troponina seguida por uma diminuição gradual e diminuição mais rápida da CK fração MB, com pelo menos um dos critérios:

  • Sintomas Isquêmicos;
  • Instalação de ondas Q patológicas no eletrocardiograma;
  • Elevação ou depressão do seguimento ST no eletrocardiograma.

Complicações do Infarto Agudo do Miocárdio

  • Edema pulmonar agudo;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Choque Cardiogênico;
  • Arritmias;
  • Parada Cardíaca;
  • Derrame pericárdico;
  • Tamponamento cardíaco.

Tratamento Médico

O tratamento médico tem como finalidade:

  1. Minimizar o comprometimento cardíaco;
  2. Preservar a função do coração;
  3. Prevenir complicações.

Ações Médicas

  • Prescrição de fármacos trombolíticos com a finalidade de reestabelecer o fluxo sanguíneo cardíaco através da destruição de trombos que estão alocados em uma das coronárias dificultando ou cessando o fluxo sanguíneo para o tecido cardíaco;
  • Reduzir a demanda cardíaca de oxigênio através de oxigenoterapia – A hipóxia cardíaca leva a ativação do sistema simpática aumentando a frequência cardíaca e a força de contração do coração. O aumento do trabalho cardíaco no esforço de aumentar o débito cardíaco e a quantidade de oferta de oxigênio ao tecido do coração, pioram o quadro de isquemia, pois o coração aumenta significativamente o consumo de oxigênio. A oferta complementar de oxigênio promove o aumento da saturação de O2 no sangue sem aumentar o débito cardíaco.
    oBS.: São sinais da reperfusão cardáca, melhora da dor precordial e a resolução das alterações no ECG.
  • Prescrição de analgésicos – Sulfato de morfina é utilizada para reduzir dor e ansiedade, diminuir pré e pós carga e relaxar os bronquíolos facilitando a respiração;
  • Prescrição de Inibidores da Enzima Conversora de Angiostensina para reduzir diminuir pressão arterial e aumentar a excreção de sódio e água.

Leia também: Sistema Renina Angiostensina Aldosterona – CLIQUE AQUI

  • Realização da Intervenção Coronária Percutânea Emergente para abrir a artéria coronária ocluída promovendo a reperfusão da região que foi privada de oxigênio.

Tratamento de Enfermagem

O tratamento de enfermagem no Infarto Agudo do Miocárdio envolve o Processo de Enfermagem através das seguintes etapas:

  1. Investigação – Levantamento do histórico por meio da coleta de dados (anamnese e exame físico);
  2. Diagnósticos de enfermagem – Julgamento clínico com base na análise e síntese dos dados através de denominação diagnóstica;
  3. Planejamento – Estabelecimento de prioridades, resultados esperados e registro do plano levantado para fins de resolver o problema levantado no diagnóstico de enfermagem;
  4. Implementação – Colocar o plano de enfermagem em prática;
  5. Avaliação dos resultados.

Histórico de Enfermagem

Na primeira etapa do processo de enfermagem o enfermeiro deve Levantar um história cuidadosa, principalmente quando há a presença de dispneia, dor ou desconforto torácico, palpitações, fadiga incomum, síncope e sudorese. Deve-se levantar quando iniciou os sintomas e os momentos de sua ocorrência. Um exame físico bem completo deve também ser realizado para fins de detectar complicações do infarto agudo do miocárdio.

Diagnósticos de Enfermagem

A etapa subsequente do Processo de Enfermagem é o estabelecimento de diagnósticos de enfermagem com base na NANDA. No infarto agudo do miocárdio poderemos ter os seguintes diagnósticos:

  • Débito cardíaco diminuído relacionado á contratilidade cardíaca alterada caracterizado por índice do trabalho sistólico do ventrículo esquerdo diminuído, presença de de 3ª e 4 bulhas cardíacas;
  • Débito cardíaco diminuído relacionado á Frequência cardíaca alterada caracterizado por palpitações cardíacas;
  • Troca de gases prejudicada relacionado ao desequilíbrio na relação ventilação-perfusão caracterizado por cianose, hipoxia e dispneia.
  • Dor aguda relacionada á isquemia cardíaca caracterizada por comportamento protetor, expressivo e expressão facial de dor.
  • Ansiedade relacionada á ameaça de morte caracterizada por aumento da excitação cardiovascular, aumento da frequência cardíaca e respiratórias e palpitações cardíacas.
  • Náusea relacionado ao medo e ansiedade caracterizado por sensação de vontade de vomitar;
  • Intolerância á atividade relacionado ao desiquilíbrio entre a oferta e a demanda de oxigênio caracterizado por alterações eletrocardiográficas indicativas de arritmia e isquemia cardíaca;
  • Fadiga relacionado ao infarto agudo do miocárdio caracterizado por cansaço e energia suficiente;
  • Risco de perfusão tissular periférica ineficaz relacionada com o débito cardíaco diminuído a partir da disfunção ventricular esquerda;

Planejamento e Metas

As principais metas para o paciente com infarto agudo do miocárdio devem incluir:

  • Alívio da dor e sintomas isquêmicos;
  • Prevenção do comprometimento cardíaco adicional;
  • Prevenção de disfunção respiratória (surge através da insuficiência cardíaca congestiva reativa ao infarto cardíaco);
  • Manutenção ou obtenção da perfusão tissular adequada reduzindo a necessidade de trabalho do coração;
  • Diminuição da ansiedade;
  • Adesão a um programa de autocuidados.

Prescrições de Enfermagem

As prescrições de enfermagem deverão envolver ações para cada diagnóstico de enfermagem estabelecido. Assim, a equipe de enfermagem deverá desempenhar os seguintes ações:

Aliviar a dor e outros sinais de isquemia;

  • Administrar morfina conforme prescrição para promover alívio da dor e vasodilatação reduzindo pré e pós carga;
  • Administrar oxigênio para fins de aumentar níveis circulantes de oxigênio diminuindo a demanda cardíaca e a dor;
  • Estabelecer o repouso no leito para diminuir o trabalho cardíaco;
  • Elevar a cabeça e o tronco do paciente no leito para fins de melhorar a drenagem nos lobos pulmonares, reduzir a pressão abdominal facilitando a expansão pulmonar (facilitar a respiração) e reduzir a pré-carga (reduzir o trabalho do coração).

Melhorar a função respiratória

  • Realizar o exame regular e minucioso da função respiratória;
  • Incentivar o paciente a respirar profundamente;
  • Incentivar o paciente a mudar de posição com frequência para fins de ajudar que o líquido se acumule nas bases pulmonares.

Promover a perfusão tissular adequada

  • Limitar o paciente no repouso no leito para diminuir trabalho do coração, principalmente nos primeiros momentos após o infarto agudo do miocárdio;
  • Verificar frequentemente os valores de frequência de pulsos e temperatura periféricos;
  • Administrar oxigenoterapia.

Reduzir a ansiedade

Pacientes com infarto agudo do miocárdio tem uma estimulação simpática excessiva, o que promove uma demanda cardíaca de oxigênio exacerbada e a ansiedade. Neste sentido a equipe de enfermagem deve:

  • Estabelecer uma relação de confiança com o paciente oferecendo informações sobre a doença, tratamento e prevenção de complicações;
  • Providenciar um ambiente tranquilo de modo a evitar pertubações que interrompam o sono;
  • Ensinar técnicas de relaxamento;
  • Utilizar o humor e estimular o riso;
  • Incentivar o paciente a rezar de acordo com a crenças dele;
  • Oferecer oportunidades para que o paciente fale dos seus medos e aflições;
  • Oferecer musicoterapia se possível;
  • Providenciar visitas de animais de estimação para o paciente (Obs. A maioria das unidades de saúde brasileiras não permitem entrada de animais. Essa prática é aceita em países desenvolvidos como os Estados Unidos pois eles tem um programa de controle de infecção de animais de estimação).

Monitorar e tratar complicações potenciais

  • Monitorar com rigor a frequência cardíaca, batimentos cardíacos, dor torácica, pressão arterial, débito urinário, estado respiratória, coloração da pele, alterações de ECG, temperatura e valores laboratoriais;
    Qualquer alteração evidencia risco de vida, devendo comunicar ao médico e iniciar medidas de emergência.

Evolução

Os resultados esperados do paciente deverão ser os seguintes:

  • Alívio da angina;
  • Ausência de sinais de dificuldade respiratória;
  • Perfusão tissular adequada;
  • Ansiedade diminuída;
  • Adesão a um programa de autocuidado;
  • Ausência de complicações.

Referências Bibliográficas

CASTRO, Marildes Luiza. Infarto Agudo do Miocárdio. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, São Paulo, v.93, n.6, Dez/2009. Disponível em <www.scielo.br>. Acesso em 02 de nov. 2017.

PESARO, Antônio Eduardo Pereira; JÚNIOR, Carlos Vicente Serrano; NICOLAU, José Carlos. Infarto Agudo do Miocárdio – Síndrome Coronariana Aguda com Supradesnível do Segmento ST. Revista Associação Médica Brasileira, São Paulo, v. 50, n.2. Disponível em <www.scielo.br>. Acesso em 02 de nov. de 2017.

BRUNNER, L. S.; Suddarth, D. S. Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgico. 8 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.

marcus

Olá, meu nome é Marcus Vinícius, tenho 32 anos. Sou blogueiro, enferrmeiro e referência técnica do Centro de Atenção Psicossocial CAPS I de Lagoa da Prata/MG. Sou graduado em Enfermagem pela Universidade de Uberaba UNIUBE. Os meu objetivo neste blog é trazer um conteúdo esquematizado e de fácil entendimento para te auxiliar nas suas pesquisas e estudos na área de enfermagem, saúde pública e saúde como um todo.

Website: http://www.enfermagemesquematizada.com.br

Deixe uma resposta