Fissura mamária

1 – O QUE É FISSURA MAMÁRIA?

A fissura mamária são pequenas lesões caracterizadas por gretas ou pequenos cortes que, por serem bastante dolorosas, podem interferir na amamentação e levar mesmo algumas mães a desistir de amamentar.

fissura-mamária-300x203 Fissura mamária

Sentir desconforto ou uma discreta dor na amamentação é natural que a mulher sinta no início das mamadas devido á forte sucção do bebê na aréola e no bico do peito. Esse desconforto desaparece após a primeira semana após o parto, quando o leite deixa de ser colostro e passa a ser o leite de transição (Veja as fases da lactação clicando aqui).  No entanto, mamilos muito dolorosos e machucados, apesar de muito comum, não são normais.

PRINCIPAIS CAUSAS DA FISSURA MAMÁRIA

As causas da fissura mamária são ocasionadas por dois motivos:

  1. Pega incorreta e;
  2. Posição incorreta.

A lesão geralmente ocorrem na ponto de apoio da boca do bebê no mamilo. Outros fator que contribui para o trauma mamilar é a tendência das mulheres em amamentar sempre na mesma posição. É chamada de posição ortodoxa. Se a mãe alimentar a criança sempre na mesma posição, o ponto de apoio será sempre no mesmo lugar. É interessante que ela rode a posição do bebe para evitar fissura mamária.

1.1 – Posições de amamentação 

A posição correta de amamentação evita o fissura mamária pois possibilita à criança realizar a pega correta.

As características da posição adequada são:

  1. A criança está voltada para o corpo da mãe – a criança é quem vem à mãe (a mãe não joga a mama em cima da criança para que ela possa mamar ;
  2. O corpo da criança toca o corpo da mãe – barriga com barriga;
  3. A criança está totalmente apoiada
  4. A criança está toda no mesmo eixo – a criança mama com cabeça e tronco no mesmo eixo – cabeça torta ou com o tronco torto;

Portanto, a coisa mais importante no alojamento conjunto é avaliar a mama. O que faz a pega ser inadequada. A posição inadequada.

 

1.2 – Pega Incorreta

Os sinais de pega incorreta são:

Mais aréola visível acima da boca do bebê;  Boca bem aberta; 3. Lábio inferior virado para fora; 4. Queixo tocando a mama.

 

2 – O QUE A MÃE PODE FAZER PARA EVITAR FISSURA MAMÁRIA

A mãe fará massagem na mama durante 1 minuto. Se a mama estiver ingurgitada, ela vai retirar um pouco de leite para retirar o excesso de leite na mama facilitando com que a criança consiga abocanhar a aréola realizando a pega correta.

Para compreender melhor esse processo devemos compreender a fisiologia da lactação:

  1. Na glândula mamária temos dois tipos de células.
    Células glandulares – As células lactóforas localizam-se em volta de um espaço chamado de alvéolo ou ácino mamário. A Prolactina, hormõnio responsável pela produção do leite, age nas células glandulares.
  2. Célula mioepiteliais – São células contráteis que ao contrair espremem o alvéolo mamário e empurram o leite para o seios lactíferos. A ocitocina é o hormônio responsável por essa contração. Os seis lactíferos localizam-se embaixo da aréola.
    A criança não suga a mama. A criança ordenha.

No primeiro minuto após o início da mamada, a criança ainda não terá leite disponível na mama. Ela só terá acesso ao leite após 1 minuto após o início da mamada porque a ocitocina só é liberada após o início do estímulo na mama.Como não tem leite, o padrão de mamada será vigoroso com dois movimentos de língua por segundo.  Após 1 minuto libera ocitocina, a boca da criança se enche de leite, e os movimentos ficam muito menos vigorosos e muito mais lentos com 1 movimento de língua por segundo.

Além disso, quando a mama está ingurgitada, a criança não consegue realizar a pega porque a aréola não permite se flexionar para encaixar na boca da criança.

Quando o bebê não coloca a aréola dentro da boca, ele fará 2 movimentos vigorosos por segundo no bico do peito causando dor. Mesmo depois de um minuto, esse leite não vai chegar à boca da criança. A mãe sentirá dor e ficará ansiosa com a liberação de adrenalina. A adrenalina bloqueia a produção de ocitocina dificultando ainda mais a amamentação.
Por isso é fundamental avaliar a pega.

A criança vai começar a mamar com um padrão menos vigoroso
Tratamento da fissura: passar o próprio leite. Espera o bico secar para colocar o sutiã para que cicatrize rápido.
Com a fissura, surge um outro problema, ela para de dar esse peito e passa só para o outro. Ai surge o ingurgitamento. A aréola fica grande e a criança não consegue abocanhar, fazer uma pega adequada. Recomendação: Ordenhar antes da mamada. O bico vai sumindo com a ingurgitação, mama perde receptores para a prolactina. Ao final da mamada, se a mama não estiver vazia tem que esvaziar.

 

No primeiro minuto da mamada, não tem ocitocina. Nesse primeiro momento não tem leite na boca da criança. O padrão de mamada é vigoroso com 2 movimentos de língua por segundo. Depois de um minuto libera ocitocina, a boca da criança se enche de leite, os movimentos ficam muito menos vigorosos e muito mais lentos com 1 movimento por segundo.

Quando o bebê não coloca a aréola dentro da boca, ele fará 2 movimentos vigorosos por segundo no bico do peito causando dor. Mesmo depois de um minuto, esse leite vai chegar à boca do bebe. A mãe com dor e ansiosa com adrenalina em alta. Sabemos que a adrenalina bloqueia a produção de ocitocina
Por isso é fundamental avaliar a pega!

OUTRAS CAUSAS DE FISSURA MAMÁRIA

Outras causas incluem:

  1. Mamilos curtos, planos ou invertidos;
  2. Disfunções orais na criança;
  3. Freio de língua excessivamente curto;
  4. Sucção não nutritiva prolongada;
  5. Uso impróprio de bombas de extração de leite;
  6. Não interrupção adequada da sucção da criança quando for necessário retirá-la do peito;
  7. Uso de cremes e óleos que causam reações alérgicas nos mamilos;
  8. Uso de protetores de mamilo (intermediários) e exposição prolongada a forros úmidos.

SINAIS E SINTOMAS DA FISSURA MAMÁRIA

O trauma mamilar é evidenciado por:

  1. Eritema,
  2. Edema,
  3. Fissuras,
  4. Bolhas,
  5. “Marcas” brancas, amarelas ou escuras,
  6. Hematomas ou equimoses

TRATAMENTO DA FISSURA MAMÁRIA

Portanto, a pega e posição incorreta levará à fissura mamária e consequentemente à outras complicações como o ingurgitamento, mastite e abcesso mamário.

 

PREVENÇÃO DA FISSURA MAMÁRIA

A prevenção é de suma importância pois reduz significativamente o desmame precoce e complicações biopsicossociais. As principais ações, como já dito neste post, é a avaliação da pega e da posição. No entanto, outros fatores são fundamentais como:

  1. Cuidados para que os mamilos se mantenham secos, expondo-os ao ar livre ou à luz solar e trocas freqüentes dos forros utilizados quando há vazamento de leite;
  2. Não uso de produtos que retiram a proteção natural do mamilo, como sabões, álcool ou qualquer produto secante;
  3. Amamentação em livre demanda – a criança que é colocada no peito assim que dá os primeiros sinais de que quer mamar vai ao peito com menos fome, com menos chance de sugar com força excessiva;
  4. Evitar ingurgitamento mamário;
  5. Ordenha manual da aréola antes da mamada se ela estiver ingurgitada, o que aumenta a sua flexibilidade, permitindo uma pega adequada;
  6. Introdução do dedo indicador ou mínimo pela comissura labial (canto) da boca do bebê, se for preciso interromper a mamada, de maneira que a sucção seja interrompida antes de a criança ser retirada do seio;
  7. Não uso de protetores (intermediários) de mamilo, pois eles, além de não serem eficazes, podem ser a causa do trauma mamilar.

MANEJO/TRATAMENTO DA FISSURA MAMÁRIA

A dor é o principal fator para a interrupção amamentação, diante disso, é fundamental priorizar medidas de conforto como:

  1. Início da mamada pela mama menos afetada;
  2. Ordenha de um pouco de leite antes da mamada, o suficiente para desencadear o reflexo de ejeção de leite, evitando dessa maneira que a criança tenha que sugar muito forte no início da mamada para desencadear o reflexo;
  3. Uso de diferentes posições para amamentar, reduzindo a pressão nos pontos dolorosos ou áreas machucadas;
  4. Analgésicos sistêmicos por via oral se houver dor importante.
  5. Colocar pouco de leite sobre o bico e esperar secar. O leite tem fatores protetores que impedem a infecção e ajudam na cicatrização.

Importante lembrar que, limitar as mamadas não tem efeito protetor nem de prevenção.

 

marcus

Website:

Deixe uma resposta