Fases da cicatrização de feridas

A fases da cicatrização de feridas envolvem as seguintes etapas básicas:
  1. Fase inflamatória;
  2. Fase proliferativa – Nesta fase temos a reepitelização, síntese da matriz e neovascularização;
  3. Fase de maturação.

 

FASE INFLAMATÓRIA

Esta fase inicia-se no momento exato da lesão e termina cerca de 36 horas após o início do trauma e tem as seguintes características:

  1. Formação coágulo: O sangramento provocado pelo rompimento dos vasos faz com que plaquetas, hemácias e fibrina tenham acesso ao tecido lesado e formem um coágulo impermeável dificultando a contaminação.
  2. Presença local de calor, rubor e edema: A lesão tecidual induz á liberação de histamina, serotonina e bradicina que causam vasodilatação e aumento do fluxo sanguíneo local. O aumento da permeabilidade capilar levam ao extravasamento de líquido para o espaço extracelular causando o edema.
  3. Resposta Inflamatória: Mediadores químicos como a prostaglandina, histamina, serotonina, leucotaxina e bradicina favorecem a exsudação plasmática de modo com que os leucócitos e fibloblastos cheguem até a ferida. A prostraglandina é um dos mediadores mais importantes pois além de promover a vasodilatação ela também induz á mitose e a quimiotaxia de leucócitos (atração química dos leucócitos para a área de lesão);

 

FASE PROLIFERATIVA

A fase proliferativa da cicatrização inicia por volta do terceiro dia pós trauma e perdura por 2 ou 3 semanas e é composta por três eventos, a saber:

  1. Neo-angiogênese – Processo de formação de novos vasos sanguíneos para manter o ambiente de cicatrização da ferida. Os novos vasos formam-se a partir de brotos endoteliais, que migram da periferia para o centro da ferida, sob a malha de fibrina depositada sob o leito da ferida. A neo-angiogênese é responsável pela nutrição do tecido e aumento do aporte de células como leucócitos e fibroblastos para o local da ferida;
  2. Fibroplasia –  Após o trauma, células mesenquimais presentes no tecido são transformadas em fibroblastos que, atraídos para região do trauma se dividem e produzem componentes da matriz extracelular. Os fibroblastos sintetizam o colágeno que irá conferir força e sustentação da cicatriz. A síntese de colágeno diminui por volta de quatro semanas e se equilibra com a sua taxa de destruição, e então, inicia a sua fase de maturação que pode durar meses.
  3. Epitelização – As células epiteliais, a partir das 24 a 36 horas pós lesão, migram das bordas para o leito da ferida induzindo a contração neoepitelização.
  4. Matriz extracelular – Substitui o coágulo depositado no leito da ferida e tem a função de restauração da continuidade do tecido lesado. Os fibroblastos são as principais células responsáveis pela produção das proteínas da matriz extracelular.

 

FASE DE MATURAÇÃO

A fase de maturação envolve:

  1. Contração da Ferida – Contração no sentido da periferia em direção para o centro da ferida de toda a espessura da pele circundante;
  2. Remodelação – Início durante a terceira semana e caracteriza-se por aumento da resistência. Há um equilíbrio de produção e destruição das fibras de colágeno neste período. Quando há um desequilíbrio nesse processo poderão surgir quelóides e cicatrizes hipertróficas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

TAZIMA, Maria de Fátima; VICENTE, Yvone Avalloni de Andrade; MORIYA, Tatachi. Biologia da Ferida e Cicatrização. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, São Paulo. 2008.

marcus

Website:

Deixe uma resposta