Farmacocinética e Farmacodinâmica: Princípios Básico da Administração de Medicamentos

Para realizar a administração correta de qualquer medicamento para um paciente, os profissionais de enfermagem deverão conhecer os princípios básicos da administração de medicamentos.

Princípios básicos da administração de medicamentos

calculos de medicação para enfermagem, administração de medicamentos, administração de medicamentos em enfermagem, gotejamento de soro, preparo e administração de medicamentos, administração de medicamentos, administração de medicamentos enfermagem, administração de medicamentos na enfermagem, cálculos de enfermagem, calculos de medicação em enfermagem, diluição de medicamentos enfermagem, calculo de medicações, calculo de medicação enfermagem, calculo de medicamentos em enfermagem, calculo de medicação, calculo de medicacao, calculo medicação, calculos de medicamentos, calculos de medicação

O objeto principal dos princípios básicos da administração de medicamentos é alcançar os efeitos terapêuticos desejados com o mínimo possível de efeitos adversos.

Mas quais são os princípios básicos da administração de medicamentos?

Os princípios básicos da administração de medicamentos envolvem a farmacocinética e a farmacodinâmica.

Farmacocinética

A farmacocinética pode ser definida como um dos princípios básicos da administração de medicamentos que tem a função de estudar o caminho que o medicamento faz pelo organismo dentro das seguintes fases:

  • Absorção;
  • Distribuição;
  • Bio transformação (metabolização);
  • e Eliminação (excreção).

Em suma, a farmacocinética descreve a ação do organismo sobre o medicamento.

Farmacodinâmica

Já a farmacodinâmica diz respeito ao estudo do local onde o medicamento atua, mecanismo de ação e efeitos do medicamento no organismo. Em outras palavras, a farmacodinâmica faz a descrição da ação do medicamento sobre o organismo.

Farmacocinética = Estuda a ação do organismo sobre o medicamento.
Farmacodinâmica = Estuda a ação do medicamento sobre o organismo.

 

Farmacocinética: Absorção

A absorção é conceituada como a passagem do medicamento do local onde foi administrado, para o sangue. Vale ressaltar que quando o medicamento é introduzido na corrente sanguínea, como no caso da via endovenosa, a etapa de absorção não acontece.

 

Via oral – Fatores que envolvem a absorção

A absorção de medicamentos pela via oral sofre influência de vários fatores, como:

  • Área disponível para absorção;
  • Propriedades físico-químicas dos medicamentos;
  • Fluxo sanguíneo local;
  • Concentração local dos medicamentos;
  • Acidez gástrica;
  • Alteração da função gastrointestinal (constipação, diarreia etc.);
  • Concentração do medicamento;
  • Presença ou não de nutrientes no momento da administração.
  • Forma farmacêutica (comprimidos, drágeas, soluções etc.).

 

Absorção: Via Sublingual

A absorção ocorre na própria cavidade oral por meio do sistema venoso bucal.

 

Absorção: Via Parenteral

A via parenteral envolve as via intramuscular, via endovenosa, via subcutânea.

Via endovenosa: O medicamento é introduzido diretamente na corrente sanguínea.
Via intramuscular: A absorção ocorre de acordo com o fluxo sanguíneo local e do tipo de solução aplicada. Fármacos que utilizam água na sua composição são absorvidos mais rápidos em relação a fármacos oleosos.
Via subcutânea: Aborção lenta e contínua.
Via transdérmica: Tecidos lesionados apresentam absorção mais lenta quando comparados ao tecido íntegro. Além disso, quanto maior a área de contato com o medicamento, maior será a absorção.

 

Biodisponibilidade

A biodisponibilidade corresponde à fração do fármaco administrado que atinge a circulação sanguínea. Em relação à administração de medicamentos por via endovenosa, a biodisponibilidade é de 100%.

Assim, a biodisponibilidade de cada medicamento dependerá de muitos fatores, dentre eles:

  • Grau e velocidade do medicamento;
  • Fração de metabolização pelo fígado (antes de atingir a corrente sanguínea parte da medicação administrada por via oral é metabolizada no fígado);
  • Vale ressaltar que a biodisponibilidade na administração endovenosa é muito maior quando o mesmo medicamento é administrado por via oral. Por exemplo, o fármaco propanol, quando administrado por via oral, em dose padrão de 40 a 80 mg. Quando é administrado por via endovenosa, tem dose padrão de apenas 5 mg.

 

Distribuição

A distribuição é conceituada como a passagem do medicamento da corrente sanguínea para diversos tecidos e órgãos.

A distribuição é influenciada por vários fatores, entre os quais:

  • Tamanho da molécula;
  • Ph local;
  • Características físico- químicas do medicamento (lipossolubilidade e grau de ionização);
  • Vascularização do tecido.

 

Fases da Distribuição

A distribuição envolve duas fases:

Fase inicial – Estão envolvidos órgãos de grande perfusão. Eles recebam grande parte do medicamento nos primeiros minutos após a administração. Esses órgãos são o fígado, coração, trato gastrointestinal, cérebro e rins.
Fase tardia – Estão envolvidos órgãos de perfusão média e baixa como os músculos, tecidos, algumas vísceras e o tecido adiposo.

 

Potencial de ligação proteica dos medicamentos

Os medicamentos livres conseguem passar pelas membranas plasmáticas e atingir o seu alvo promovendo o efeito terapêutico desejado. Assim, quanto maior a capacidade do medicamento ficar em sua forma livre no sangue, maior será a sua capacidade de promover efeito terapêutico.

 

Eliminação / Excreção

A eliminação é conceituada como a retirada do medicamento do organismo. Esse processo inicia-se assim que o medicamento atinge a corrente sanguínea. A eliminação ocorre por dois mecanismos:
1 – Metabolismo;
2 – Excreção.

Metabolismo

O principal órgão que metaboliza os medicamentos é o fígado. No entanto, os pulmões, rins, pele e trato gastrointestinal também podem fazer essa função.

 

Excreção

Já a excreção ocorre principalmente nos rins. Mas ela também pode ocorrer nos pulmões, no trato gastrointestinal (através das fezes) e na pele, na saliva, no suor e nas lágrimas.

Órgãos responsáveis pela metabolização e eliminação

O principal órgão responsável pela metabolização e eliminação de medicamentos é o fígado. Outros órgãos como os rins, pulmões e pele e trato gastrointestinal também tem essa função.

Se você gostou do artigo, não deixe de compartilhar. Um grande abraço e até a próxima matéria.

Marcus Vinícius

Olá, meu nome é Marcus Vinícius. Sou blogueiro, enfermeiro e responsável técnico pelo Centro de Atenção Psicossocial CAPS I do Município de Lagoa da Prata/MG. Este blog tem o objetivo de trazer um conteúdo esquematizado e de fácil assimilação. Aproveite e entre em contato em caso de dúvidas e sugestões!

Website: http://www.enfermagemesquematizada.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *