esquizofrenia hebefrênica

O que é esquizofrenia? 

A esquizofrenia é uma doença de evolução crônica caracterizada por sintomas classificados em positivos (por exemplo alucinações e delírios) e negativos (embotamento afetivo e pobreza no discurso). A esquizofrenia é subdivida nos tipos paranoide, hebefrênica, catatônica, residual e indiferenciada.

O que é esquizofrenia hebefrênica

esquizofrenia-hebefrênica-1-300x169 esquizofrenia hebefrênica

 

A esquizofrenia hebefrênica, também chamada de desorganizada, é uma psicose que inicia pós puberdade e caracterizada-se por fenômenos regressivos como:

  • infantilidade,
  • passividade e;
  • desagregação da personalidade.

O que significa o nome Hebefrênico.

O nome Hebefrênico provém de:

  • Hébe – deusa da juventude na mitologia grega
  • Phrenos (frênico) – mente

Portanto esquizofrenia hebefrênica significa esquizofrenia da juventude.


Sinais e sintomas da esquizofrenia hebefrênica:

  • Enfraquecimento intelectual;
  • Comportamento é irresponsável imprevisível (travessuras);
  • Gesticulação , exagerada ou ritualística de movimentos corporais (maneirismos);
  • Delírios e alucinações fugazes e fragmentários;
  • Tendência ao isolamento social;
  • Afeto superficial e inadequado;
  • Pensamento desorganizado;
  • Discurso incoerente.
  • Sintomas negativos desenvolvem rápido como perda de vontade e embotamento afetivo dando um prognóstico ruim para a doença principalmente quando ocorre na infância.

Prognóstico da esquizofrenia hebefrênica

A doença apresenta um prognóstico ruim porque ocorre na infância quando ainda a personalidade ainda não está totalmente desenvolvida bloqueando o seu desenvolvimento. Neste sentido, quando mais mais nova a criança mais ruim o prognóstico e maior o desenvolvimento dos sintomas negativos como o embotamento afetivo e perda da volição.


Tratamento

O tratamento para esquizofrenia hebefrênica é semelhante ás outras psicoses e envolve o tratamento:

  • Medicamentoso;
  • Abordagens individuais, familiares e educacionais;
  • Promover a reinserção social.

Referências Bibliográficas

 

GONÇALVES, Marcelo; WERNER, Jairo; NEVES, Marco.Características clínicas e do neurodesenvolvimento na esquizofrenia da infância e adolescência. Revista Neurociências, Rio de janeiro, v. 15, n. 1, outubro, 2007. Disponível em: <http://www.revistaneurociencias.com.br> . Acesso em 13 de dezembro de 2016.

 

SILVEIRA, Mônica. Transtornos Psicóticos nos Usuários dos Centros de Atenção Psicossocial do Estado de Sergipe. Universidade Tiradentes, Aracaju, 2009. Disponível em: <https://www.unit.br/mestrado/saudeambiente/D_defendidas/monica_silva_silveira.pdf

 

SOARES, Hugo; GONÇALVES, Hérica; JÚNIOR, Jairo. Esquizofrenia Hebefrênica: Psicose na infância e adolescência. Revista de Psicologia, Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, abril, 2011. Disponível em <https://www.unit.br>. Acesso em 13 de dezembro de 2016. Acesso em 13 de dezembro de 2016.

 

 

 


marcus

Olá, meu nome é Marcus Vinícius, tenho 32 anos. Sou blogueiro, enferrmeiro e referência técnica do Centro de Atenção Psicossocial CAPS I de Lagoa da Prata/MG. Sou graduado em Enfermagem pela Universidade de Uberaba UNIUBE. Os meu objetivo neste blog é trazer um conteúdo esquematizado e de fácil entendimento para te auxiliar nas suas pesquisas e estudos na área de enfermagem, saúde pública e saúde como um todo.

Website: http://www.enfermagemesquematizada.com.br

Deixe uma resposta