Saiba Tudo Sobre Coceira na Vagina

A coceira na vagina é um sintoma bastante comum. Mais de 10% das mulheres procura assistência clínica devido a esta queixa ginecológica. Entre as várias causas estão o uso de roupas apertadas diariamente, calcinhas sintéticas e uso de biquíni por longos períodos de tempo. Supõem-se que mais de 75% das mulheres durante o período fértil terão pelo menos um episódio de candidíase vulvovaginal.

Dentre as infecções ginecológicas, a candidíase é aquela que mais provoca coceira na vagina e vulva. Durante o período pré-menstrual, a coceira aumenta ainda mais, pois a urina se torna mais ácida.

 

O que causa a Candidíase?

coceira na vagina, candidiase tratamento, candidiase tem cura, sintomas de candidíase vaginal

A candidíase é causada por fungos da espécie Candida albicans, mas também outras espécies podem ser identificadas como a Candida glabrata, Candida tropicalis e Candida parapsilosis.

 

Como surge a Candidíase?

A Candida Albicans é um fungo oportunista que habita as mucosas, intestino e vagina no decorrer ou pouco tempo depois do nascimento. Esses fungos são muito bem adaptados ao organismo humano e por este fator não causam doença quando o corpo está em bom funcionamento. Qualquer fator que provoque mudança neste funcionamento, poderá levar ao crescimento da população de Candida albincans e, consequentemente, ao surgimento da doença.

 

Quais são os sintomas da Candidíase?

A candidíase pode se manifestar através dos seguintes sintomas:

  • Prurido vulvovaginal – conceira na vagina e vulva;
  • Ardor ou dor ao urinar;
  • Fissuras e maceração na pele;
  • Hiperemia (vermelhidão);
  • Edema da vulva;
  • Dispareunia (dor na durante a relação sexual);
  • Placas brancas ou branco acinzentadas aderidas à mucosa da vagina ou colo;
  • Corrimento branco, grumoso, sem odor e com aspecto caseoso caseoso (parece leite coalhado).

 

Devo ter relações sexuais com coceira na vagina?

Não se recomenda a atividade sexual até o desaparecimento dos sintomas, pois há o risco de surgir complicações como vaginismo (Contração involuntária dos músculos ao redor da vagina causando dor e dificuldade de relação sexual  – dispareunia). Após a resolução do quadro clínico, orienta-se utilizar lubricantes antes das relações sexuais.

 

O que faz com que o fungo cresça e promova coceira na vagina?

O surgimento da candidíase é uma consequência de diversos fatores. Vamos falar sobre os principais nas próximas linhas.

 

Ambiente Propício

Sabe-se que a Cândida albicans, micro-organismo responsável por provocar coceira na vagina, tem facilidade de crescer em ambientes quentes e úmidos. Assim explica-se porque o uso diário de calça jeans e roupas apertadas, o uso de calcinha sintética e uso frequente de biquíni pode causar candidíase.

 

Uso de Antibióticos

Além disso, o uso de antibióticos são outra causa. Isto porque os antibióticos podem combater não somente aquela bactéria que está causando aquela determinada infecção (por exemplo, uma faringite), mas também atacam as bactérias boas, aquelas que trazem um benefício para o organismo. Neste caso, o antibiótico tem o poder também de combater os lactobacilos. E sabe-se que eles são responsáveis por impedir o crescimento de micro-organismos patogênicos como a Cândida albicans na mucosa vaginal. Ao utilizar antibióticos, a cândida se vê livre para se reproduzir e inciar sua infecção.

 

Transmissão Anal-Vagina

Outro causa de infecção de Cândida Albicans que merece destaque, é o fato de que o fungo pode ser transmitido do orifício anal (pois o mesmo é muito abundante no intestino) para a mucosa genital após o uso do banheiro e em relações sexuais.

Para evitar esse tipo de transmissão, é orientado fazer a higiene de “cima para baixo” em vez de “baixo para cima” após ir ao banheiro e evitar realizar sexo vaginal depois do coito anal sem uma higienização adequada.

 

Alimentação

A alimentação muito ácida altera o pH vaginal favorecendo ao crescimento populacional de fungos. Como se dá isso? Acredita-se que a urina mais ácida suprimi a flora vaginal de lactobacilos, bactérias que defendem a mucosa vaginal de agentes patogênicos como a Candida albicans.  Assim, a coceira na vagina pode surgir quando você faz muito uso do seguintes alimentos:

  • álcool;
  • chocolate;
  • tomate;
  • cafeína;
  • temperos artificiais;
  • adoçantes; e
  • alimentos com ácido ascórbico.

 

Diabetes Mellitus

O diabetes não controlado levam à quadros de hiperglicemia. A incapacidade do pâncreas de produzir insulina ou o aumento da resistência do organismo à insulina levam a quadros de aumento de glicose no sangue. A hiperglicemia leva à elevação do glicogênio vaginal e este é um fator desencadeador para a coceira vaginal. O glicogênio é o alimento dos fungos. Se há alimento, há também crescimento da polução de cândida albicans.

 

Hormônios

Os hormônios sexuais femininos estimulam os lactobacilos, bactérias abundantes na vagina, a produzem substâncias chamadas de ácido lático, tornando o pH vaginal em torno de 4,5. Esse pH torna o ambiente vaginal ruim para a proliferação da maioria dos micro-organismos que produzem doença. Os lactobacilos fazem competição com os fungos de três maneiras:

  1. Por alimento – Não tendo muito glicogênio, não há como a população de fungos crescerem;
  2. Por competição por superfície epitelial – Os lactobacilos bloqueiam receptores impedindo que os fungos se aderem no tecido epitelial vaginal;
  3. Por produção de bacteriocinas, substâncias capazes de fazer uma inibição na germinação de micélios.

Esses fatores explicam porque os antibióticos e alteração hormonal durante a menopausa e uso de alguns contraceptivos hormonais podem desencadear a candidíase em decorrência da diminuição da flora bacteriana vaginal.

 

Outras Causas

  • Traumas durante o ato sexual;
  • HIV e imunossupressão – Depressão na imunidade levam ao crescimento da população de fungos;
  • Relações sexuais frequentes;
  • Fatores Psicológicos – Depressão, ansiedade e stress levam à queda na defesa imunológica e aumento do crescimento de cândida;
  • Uso de sabonetes perfumados, amaciantes de roupas, papel higiênico perfumado, higiene íntima com sabonetes perfumados, lavar roupas íntimas com barras de sabão perfumado, tomar banho com sabonetes perfumados, também podem causar candidíase, justamente por alterar o pH vaginal.

 

Somente as mulheres podem ter Candidíase?

Homens também podem ter, assim como crianças. Nos homens a candidíase pode ser comum na região do períneo próximo aos testículos.

 

A Candidíase é considerada uma DST (Doença Sexualmente Transmissível)?

Atualmente a candidíase não é mais considerada uma DST por ser um fungo que habita naturalmente as mucosas humanas sem necessariamente causar doença.

 

A candidiase tem cura?

Sim. A candidiase tem cura. Utilizando o tratamento adequado de acordo com a sua causa.

 

Quais os tratamentos para candidíase vaginal?

Os tratamentos envolverão a retirada das causas do crescimento da cândida albicans e o tratamento farmacológico. Portanto, serão métodos de tratamento:

  • Farmacoterapia: O cetoconazol, fluconazol o itraconazol são fármacos mais recomendados. É importante também realizar o tratamento concomitante dos parceiros sexuais.
  • Controle do diabetes;
  • Suspender o uso de antibiótico sem prescrição médica;
  • Realizar troca de contraceptivo hormonal de acordo com a orientação médica;
  • Realizar técnica correta de higiene vulvar;
  • Evitar utilizar roupas íntimas sintéticas – Dê preferência à calcinhas de algodão;
  • Evitar ou reduzir o uso de calças jeans e roupas apertadas;
  • Evitar utilizar biquínis por longo período de tempo (umidade);
  • Reduzir ou evitar qualquer atividade que gere atrito na vulva (cavalgadas, andar de bicicleta);
  • Utilizar sabonete neutro e roupas largas;
  • Não usar roupas íntimas quando possível;
  • Realizar atividades físicas e de lazer para reduzir o estresses;
  • Tratar condições psicológicas como a depressão, ansiedade e outros;
  • Reduzir o uso de substâncias que provocam irritação na mucosa vesical como a cafeína, álcool, adoçantes, tomate chocolate e outros.

 

A candidíase pode acometer outros locais do corpo?

A cândida albicans geralmente habita todas as mucosas, sendo assim ela poderá surgir em vários locais do corpo, por exemplo:

  • Boca e Mucosa oral – É chamada de candidíase pseudomembranosa ou de “sapinho”;
  • Esôfago;
  • Intestino – Candidíase intestinal;
  • Pele – Candidíase cutânea;
  • Pode atingir todos os órgãos internos – Candidíase sistêmica.

 

Outras causa de coceira na vagina

Embora a causa mais comum de coceira na vagina seja a candidíase, outras doenças podem desencadear este sintoma como:

  • Dermatite;
  • Psoríase;
  • Distúrbios Psicológicos;
  • Vaginose;
  • Atrofia senil;
  • Oxiúros (vermes que causam coceira anal);
  • Líquen plano; e
  • Tricomuníase.

É importante mencionar que este blog tem caráter apenas informativo e por isso não substitui uma prescrição médica. Neste sentido, na presença de algum desses sintomas, orientamos a consultar um médico.

 

Referências Bibliográficas

ÁLVARES, eT aL. Candidíase vulvovaginal: fatores predisponentes do hospedeiro e virulência das leveduras. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, Maringá, v. 43, n. 5, p. 319-327, 2001. Disponível em <www.scielo.br>. Acesso em 28 de jul. de 2018.

ARAÚJO, Carla Luiza França; SANTOS, Cláudia. Consulta de Enfermagem Ginecológica: Eficácia do Tratamento de Rotina nas Vulvovaginites. Revista Brasileira de Enfermagem, Rio de Janeiro, v. 45, 2, p. 116-121, 1992. Disponível em <www.scielo.br>. Acesso em 28 de jul. de 2018.

LUCAS, et al. Prurido Vulvar: Diagnóstico Diferencial para Médicos Generalistas. Revista Medicina e Saúde de Brasília, Brasília, v. 1, n. 1, 212. Disponível em <https://portalrevistas.ucb.br>. Acesso em 28 de jul. de 2018.

 

Marcus Vinícius

Olá, meu nome é Marcus Vinícius. Sou blogueiro, enfermeiro e responsável técnico pelo Centro de Atenção Psicossocial CAPS I do Município de Lagoa da Prata/MG. Este blog tem o objetivo de trazer um conteúdo esquematizado e de fácil assimilação. Aproveite e entre em contato em caso de dúvidas e sugestões!

Website: http://www.enfermagemesquematizada.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *