Saiba quais são as Classificações das Cirurgias!

A Classificação das Cirurgias é um dos temas mais corriqueiros nas provas de concurso. Elas podem ser classificadas quanto:

  • Finalidade
  • Urgência;
  • Potencial de Contaminação

Classificação das cirurgias quanto á finalidade

As cirurgias são classificadas quanto á finalidade em:

  1. Diagnósticas;
  2. Curativas;
  3. Reparadoras;
  4. Reconstrutora ou cosmética;
  5. Paliativa.

Cirurgias Diagnósticas

Cirurgias destinadas a realizar um diagnóstico.

  • biopsia (retirada de um tecido para análise de tipo de células);
  • laparatomia Exploratória (incisão da parede abdominal de modo a visualizar os orgãos abdominais para fins de facilitar diagnósticos).

 

Cirurgia curativa

São procedimentos cirúrgicos que tem a finalidade de por fim a determinado diagnóstico.
Ex.: Excisão de tumor ou de um apêndice inflamado (apêndicite).

 

Cirurgia reparadora

Cirurgia com destino de reconstruir tecidos.
Ex.: Enxerto de pele em feridas de pressão.

Cirurgia reconstrutora ou cosmética

As cirurgias reconstrutoras ou cosméticas são destinadass á reconstrução de uma área anatômica corporal, tecido ou orgãos.
Ex.: Mamosplastia após mastectomia total devido ao câncer de mama;
Colocação de prótese mamária para fins estéticos.

 

Cirurgia paliativa

Procedimentos cirúrgicos que não tem a capacidade de corrigir o problema de saúde do paciente mas sim de aliviar possibilitando maior conforto.
Ex.: Gastrostomia para compensar a incapacidade de deglutir alimentos.


Classificação das cirurgias quanto ás urgências

As cirurgias são classificadas quanto á urgências em:

  1. Emergência;
  2. Urgência;
  3. Necessárias;
  4. Eletivas;
  5. Opcionais.

 

Cirurgias de Emergência

O paciente necessita de atenção imediata pois há risco iminente de vida. O procedimento não pode ser, em hipótese nenhuma, ser adiado Exemplos:

  • Sangramento grave;
  • Obstrução vesical ou intestinal;
  • Fratura de crânio;
  • Feridas por arma de fogo ou arma branca;
  • Queimaduras extensas.

 

Cirurgias de Urgência

São cirurgias que podem esperar no máximo de 24 a 30 horas. Neste sentido, o paciente pode esperar algumas horas não tendo risco de ir a óbito neste período de tempo. Exemplos:

  • Infecção aguda da vesícula biliar;
  • Cálculos renais e uretrais.

 

Cirurgias necessárias

São cirurgias que podem ser planejadas dentro de períodos de tempos mais longos como semanas ou meses. Exemplos:

  • Hiperplasia da próstata sem obstrução vesical;
  • Distúrbios da tireoide;
  • Catarata.

 

Cirurgias eletivas

São procedimentos cirúrgicos que, se adiados, não oferecem riscos catastróficos ao paciente. EXEMPLOS:

  • Hérnia simples;
  • Reparação vaginal.

 

Cirurgias opcionais

São cirurgias pelo qual cabe ao paciente decidir se a faz ou não. Exemplos:

  • Mamoplastia de aumento;
  • Mamoplastia de redução;
  • Rinoplastia;
  • Implante capilar;
  • Lipoaspiração.

Classificação das cirurgias por potencial de contaminação

Todos os tipos de cirurgias são classificados também em relação ao risco de adquirir uma contaminação na ferida cirúrgica. Assim, as cirurgias são classificadas quanto ao potencial de contaminação em:

  1. Cirurgias limpas;
  2. Cirurgias potencialmente contaminadas;
  3. Cirurgias contaminadas;
  4. Cirurgias infectadas.

 

Cirurgias Limpas

São cirurgias que apresentam as seguintes características:

  • Realizadas em tecidos estéreis ou de fácil descontaminação;
  • Ausência de qualquer processo infeccioso no tecido que irá receber o ato cirúrgico;
  • Cirurgias que não penetram nos tratos digestórios, urinário ou respiratório;
  • Exemplos:Cirurgias de Ovários.

 

Cirurgias Potencialmente Contaminadas

  • São cirurgias realizadas em tecidos de difícil descontaminação;
  • Ausência de supuração local;
  • Esse tipo de cirurgia são aquelas que penetram nos tratos digestórios, respiratórios e urinários sem contaminação significativa;
  • Exemplo: Redução de fratura exposta.

 

Cirurgias Contaminadas

São cirurgias realizadas em tecidos recentemente traumatizados e abertos;

  • Os tecidos são de difícil descontaminação;
  • Apresentam com processo inflamatória porém sem a presença de pus (supuração);
  • Exemplo: Apendicite supurada.

 

Cirurgias Infectadas

São cirurgias realizadas em tecidos que apresentem:

  • Supuração local;
  • Tecido necrótico;
  • Feridas traumáticas sujas.
  • Exemplos: Cirurgia do reto e ânus com pus.

Referências Bibliográficas

Smeltzer SC, Bare BG. Brunner & Suddarth: Tratado de Enfermagem MédicoCirúrgica. 12 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012. vol. I.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria n°2.616, de 12 de maio de 1998. Estabelece diretrizes e normas para a prevenção e o controle das infecções hospitalares. Diário Oficial da União da República Federativa do Brasil. Brasília, 13 mai. 1998.

 

 

 

 

Marcus Vinícius

Olá, meu nome é Marcus Vinícius. Sou blogueiro, enfermeiro e responsável técnico pelo Centro de Atenção Psicossocial CAPS I do Município de Lagoa da Prata/MG. Este blog tem o objetivo de trazer um conteúdo esquematizado e de fácil assimilação. Aproveite e entre em contato em caso de dúvidas e sugestões!

Website: http://www.enfermagemesquematizada.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *