Células Epiteliais – Morfologia – Tipos de Tecido Epitelial

As células epiteliais são células que formam o tecido epitelial, um dos principais tecidos do nosso corpo. Elas são especializadas no revestimento da superfície do nosso corpo (compõem a epiderme, camada superficial da pele), revestem cavidades dentro do organismo e algumas são especializadas em secreção.

Características Principais das Células Epiteliais

  • Apresentam forma poliédrica, ou seja, apresentam muitas faces.
  • São organizadas de forma justapostas pois apresentam entre elas, pequena quantidade de matriz extracelular.
  • Apresentam junções intercelulares promovendo uma união firme entre as células epiteliais, assim, estas células tem a função de revestimento da superfície ou cavidades do corpo e de secreção.
  • Apresentam formas variáreis de acordo com o tipo de tecido epitelial podendo ser pavimentosa,  cúbica ou colunar (Cilíndrica ou prismática) dependendo da finalidade do tecido.
  • Formato do núcleo geralmente acompanha o formato da célula podendo ser esférico, alongado ou elíptico. Por exemplo: células em formato de cubo tem núcleos esféricos e células pavimentosas tem núcleos mais achatados.

 


Morfologia das Células Epiteliais

As células epiteliais podem ser do tipo:

  • Pavimentosa;
  • Cúbica; e
  • Colunar (Cilíndrica ou prismática).

Agora vamos estudar cada uma delas.

 

Célula Epitelial Pavimentosa

Apresentam a largura e o comprimento maior do que a altura. Estas células tem formato achatado justamente para fins de facilitar a passagem de substâncias. Exemplo: Células de vasos sanguíneos (endotélio);

 

Célula Epitelial Cúbica

Estas células apresentam a altura igual à largura e o comprimento. Apresentam maior quantidade de organelas citoplasmáticas devido à maior necessidade de absorção, secreção ou transporte de íons.

 

Célula Epitelial Colunar (Cilíndrica ou prismática)

As células epiteliais colunares apresentam a altura maior que a largura e o comprimento. Assim como as células cúbicas, as células colunares também apresentam maior quantidade de organelas para fins de absorção, secreção ou transporte de íons.

Agora vamos abordar os tipos de tecidos epiteliais vinculando tudo o que já estudamos até aqui.


 

Tipos de Tecido Epitelial

 

Há dois tipos principais de tecido epitelial, a saber:

1 – Tecido Epitelial de revestimento;
2 -Tecido Epitelial glandular.

 

Tecido Epitelial de Revestimento

As células epiteliais pertencentes ao tecido epitelial de revestimento configuram-se em folhetos que revestem:

  • a superfície externa do corpo;
  • as grandes cavidades do corpo;
  • as cavidades internas;
  • o espaço interno de vasos sanguíneos (lúmen);
  • o espaço interno de todos os órgãos ocos e tubos de diversos calibres (lúmen).

Classificação do Epitélio de Revestimento

De acordo com a sua função, o tecido epitelial de revestimento pode ser classificado em:

  1. Simples – Apenas uma camada de células epiteliais;
  2. Pseudoestratificado – Apenas uma camada de células epiteliais. As diferentes posições de seus núcleos podem passar uma impressão de que trata-se de um tecido estratificado;
  3. Estratificado – Apresenta duas ou mais camadas de células epiteliais.

 

Epitélio de Revestimento do Tipo Simples

As células epiteliais apresentam-se em apenas uma camada. Podem apresentar as seguintes formas:

  • Pavimentosa: Células epiteliais que fazem o revestimento de vasos (endotélio), cavidade pericárdica, peritoneal (mesotélio) e pleural.
  • Cúbica: As células epiteliais do epitélio simples de forma cúbica fazem o revestimento externo do ovário, glândulas, folículos tireoidianos e ductos excretores.
  • Prismático ou colunar: O epitélio de revestimento simples do tipo prismático ou colunar apresenta células que revestem o lúmen da vesícula biliar e intestino.

 

Epitélio Pseudoestratificado

As células epiteliais estão dispostas em apenas uma camada, cujos núcleos são vistos em diferentes alturas dando a sensação de estarem em várias camadas. Todas as células apoiam-se numa lâmina basal, entretanto nem todas alcançam a superfície do epitélio. As células apresentam-se a forma prismática ou colunar e fazem o revestimento da cavidade nasal, traqueia e brônquios.

 

Epitélio Estratificado

As células epiteliais estão organizadas em duas ou mais camadas. Podem apresentar as seguintes formas celulares:

  • Pavimentoso queratinizado – Com a superfície seca, o epitélio estratificado pavimentoso queratinizado localiza-se na epiderme.
  • Pavimentoso não queratinizado – Com a superfície úmida, o epitélio estratificado pavimentoso não queratinizado recobre a superfície interna da boca, vagina, esôfago e canal anal.
  • Cúbico – Localiza-se nas glândulas sudoríparas e folículos ovarianos em crescimento.
  • Transição – Localizam-se na bexiga urinária, ureter e porção inicial da uretra. Quando a bexiga está vazia, as células epiteliais superficiais são globosas. Já quando a bexiga está cheia, as células superficiais achatam-se.
  • Prismático ou Colunar – Localizam-se na membrana conjuntiva do olho.

 

Tecido Epitelial Glandular

As células epiteliais presentes nas glândulas são especializadas na atividade secretória. Elas podem sintetizar, armazenar e eliminar proteínas (por exemplo: pâncreas), lipídeos (por exemplo: glândulas sebáceas) ou complexos de proteínas (exemplo: glândulas salivares) ou complexos de carboidratos.

 

Tipos de Glândulas

Além do tecido epitelial de revestimento, estudado até agora, temos também o tecido glandular (Lembre-se que existem apenas dois tipos de tecidos epiteliais, o de revestimento e o glandular) que se subdividem em mais quatro subtipos:

  1. Glândulas Unicelulares – Célula caliciforme do trato respiratório ou intestino delgado que secreta mucina. A mucina se dissolve na água formando o muco;
  2. Glândulas Pluricelulares – São agregados de células epiteliais que formam as glândulas endócrinas e exócrinas;
  3. Glândulas Exócrinas – Apresentam uma conexão com o tecido epitelial que as formaram. Essas conexões transformaram-se em ductos, pelos quais as secreções são eliminadas para alcançarem a superfície do corpo ou de uma cavidade. São exemplos de glândulas exócrinas, as glândulas mamárias, sebáceas e sudoríparas.; e
  4. Glândulas Endócrinas – Não apresentam conexão com o tecido epitelial que as formaram e por isso não tiveram a formação ductos. Para eliminar as secreções que elas sintetizam, elas liberam as mesmas por meio do sangue para que alcancem o seu local de ação por meio da circulação sanguínea. São exemplos de glândulas endócrinas: Hipófise anterior, adrenal e paratireoide.

Referências Bibliográficas

JUNQUEIRA, L.C.U. & CARNEIRO, J. Histologia Básica. 11ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. 524p.

Marcus Vinícius

Olá, meu nome é Marcus Vinícius. Sou blogueiro, enfermeiro e responsável técnico pelo Centro de Atenção Psicossocial CAPS I do Município de Lagoa da Prata/MG. Este blog tem o objetivo de trazer um conteúdo esquematizado e de fácil assimilação. Aproveite e entre em contato em caso de dúvidas e sugestões!

Website: http://www.enfermagemesquematizada.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *